Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Abordagem do Profissão Repórter e relatório da Anistia Internacional reflete um desleixo por parte dos governantes do Brasil; um país desestruturado politicamente

Artigo

O programa Profissão Repórter, da rede Globo, do dia 24 de fevereiro, abordou o tema envolvendo a segurança pública em ações que resultaram em diversas mortes. Em paralelo ao programa, o relatório da anistia internacional, destacou o tema com dados que necessitam de ações que mudem essa realidade no Brasil.

74,8% disseram que é muito provável que participem de próximas manifestações
reprodução:conversa de balcão-Ailton Fernandes

O Brasil na vitrine do mundo

O Brasil, país com mais de 200 milhões de habitantes, tem sido capa de jornais em todo o mundo. O motivo não é mais a copa do mundo e nem as futuras olimpíadas de 2016, alias um evento gigantesco que contará com mais de 200 países em solo brasileiro, os investimentos para a realização desse mega evento deve custar 36,7 bilhões de reias ( dados do portal Jogos Limpos ) - investimento público e privado. Lembrando que ainda pode ter aumento. Bom séria se esses megas investimentos fossem focados em políticas de reestruturação social do país: educação de qualidade( escolas e ensino) projetos de profissionalização para jovens e adolescentes de comunidades carentes(principalmente), infraestrutura de bairros que estão situação caótica com esgoto a céu aberto, ruas esburacadas, lixões ao ar livre... as crianças sofrem para conseguir um atendimento odontológico completo do serviço público. Tudo isso é reflexo de uma administração política corrupta e irresponsável com sua função de gerir um sistema governamental que assegure ao cidadão contribuinte uma qualidade de vida compatível com suas necessidades. 

Uma das áreas mais afetadas do país é a segurança pública. O Brasil está entre os países mais violentos do mundo. Das trinta cidades mais violentas do mundo, segundo a ONU, em estudo divulgado com dados de 2012, o Brasil tem 11 cidades listadas na pesquisa.

Com tanta violência no cenário social do Brasil, a segurança pública do país tem chamado a atenção das outras nações. O relatório da Anistia Internacional mostrou que o pais está longe de diminuir as taxas de criminalidade e mortes. Segundo a Anistia Internacioanal as ações do governo brasileiro tem sido vergonhosa e ineficaz. E o que preocupa é a ação desproporcinal da segurança pública, onde os mais afetados são civis, pessoas que não tem envolvimento com a criminalidade. A Anistia Internacional ainda afirma que a segurança pública do Brasil é violenta há cerca de trinta anos. 

Um dos casos que chamou a atenção de movimentos sociais, imprensa, grupos de direitos humanos, até internacionais, foi o caso que ocorreu no estado da Bahia, onde 12 jovens foram mortos numa ação da segurança pública. Segundo relatos de moradores e movimentos sociais a ação foi desproporcional e aconteceu por serem pobres e negros. Ainda há relatos que os jovens foram executados, numa ação de guerra. A secretária de Segurança pública informou que foi uma ação correta da PM. Os policiais teriam sido recebidos a tiro. O MP da Bahia entrou no caso e uma mobilização de grupos sociais estão indagando e cobrando respostas dos órgão competentes.

Outros casos:  O caso Amarildo, desaparecido e morto por ação da segurança pública do RJ.
Claúdia Silva Ferreira de 38 anos - baleada e morta; vergonhosamente foi arrastada pendurada no carro da PM da zona norte do RJ, por 250 metros. 

Pessoas reclamam de serem maltratadas, xingadas e até ameaçadas pela segurança pública de suas cidades. Confessam se sentir sem liberdade de expressão. A imprensa brasileira, todos os dias, relata casos de abusos de poder por parte da segurança pública do Brasil.

Desestruturação geral

Ainda assim, sendo manchete nos jornais de outros continentes, os casos acontecem diariamente e são esculachados pela imprensa brasileira. Isso reflete um país politicamente sem direção e sem responsabilidade com a sociedade. Esses servidores públicos, que agem de forma violenta e irregular, fugindo da lei, podem ser fruto de um despreparo constante do sistema governamental que não procura sanar os problemas da segurança pública. Baixos salários, poucos beneficios, formações frágeis e que necessitam de reestruturação geral, fazem parte desse contexto de turbulência social. E o estado não reage - os representantes não querem mexer na constituição e não debatem o assunto com a sociedade e nem entre eles, os poderes administrativos do país: Executivo, Legislativo e Judiciário. 

Enquanto essa reestruturação na política brasileira não for feita, as mazelas que atingem a sociedade só ganharam mais espaço. É necessário uma mudança geral. Investir e fiscalizar esses investimentos nos serviços públicos. Valorizar o funcionário público, entre os que fazem parte da segurança pública; Abrir a porta para os jovens se profissionalizarem e se formarem com maior facilidade, conseguindo acesso às faculdades e universidades; Combatendo severamente a corrupção e extinguindo os envolvidos da cenário político; investindo em preparo da segurança pública, com qualidade e mais ética e cidadania. Ampliando programas de moradia. Dando junto com as bolsas cursos para qualificação desses futuros jovens.

Pelo jeito, só vai mudar alguma coisa quando o povo acordar e ir reivindicar seus direitos exigindo mundanças( já).





Nenhum comentário: